imagem CARTA À NEGATIVIDADE

Por Daniel Ramalho

20170611_112331.jpg

Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2017

Prezada Negatividade,

Ser positivo em um mundo negativo é dureza. Passo meus dias trabalhando e vivendo da forma mais positiva possível. Textos, pensamentos, vida de uma forma geral. Minha positividade vive sendo contestada por quem mais precisa dela e você é a responsável por isso: se digo sim, sempre aparece alguém para contrariar, julgar e me dizer que a resposta correta é não. O pior de tudo é que a positividade parece ofender a muitos, principalmente a seus discípulos, e é comum receber críticas fundamentadas apenas na noção de que ser positivo é ser sonhador ao extremo, é ser irresponsável, viver em um mundo de contos de fadas. Basta um deslize e lá vem um monte de dedos apontando e dizendo: “Olha, ele não passa de um hipócrita”.

Sim, eu reclamo, brigo, esbravejo, xingo, mando para aquele lugar. Não, eu não sou perfeito, não sorrio as 24 horas do dia, eu me entristeço e até tenho dias em que preferiria ficar deitado na cama sem olhar a cara de ninguém, mas logo lembro que tenho uma família, amigos e trabalho que contam comigo.

Nesses momentos, quando algum aproveitador me vê, logo vem a crítica: “Ué, onde está sua positividade, seu otimismo?” Entendeu quando é que me vem a vontade de mandar para tal lugar?

Lido com minha disfunção, o diabetes, da melhor maneira que consigo. Tento levar minha alegria de viver a cada lugarzinho em que me meto, inclusive em meu blog, mas sempre há alguém para puxar o tapete, que por insegurança acredita que se eu abrir minha boca, lhe roubarei algum lugar de destaque… Ora, quem quer destaque? Eu só quero viver minha vida em paz, ajudar a quem precisa do que tenho de bom e ter ao meu lado as pessoas que acreditam nos mesmos valores que eu.

Tento diariamente me colocar à prova também: tento sempre fazer aquilo que você diz que não consigo e é muito gratificante notar quando você está errada e ver que a única barreira entre mim e o impossível reside em minha mente.

E aqui estou eu, escrevendo um texto abarrotado de você, negatividade. Se me deixei afetar? Não! Mas um não bem negativo mesmo. Não adianta se empolgar.

Quer negatividade, negatividade? Então toma: eu NÃO (gritantemente maiúsculo) aceito seu pessimismo. Eu NÃO cederei à pressão de ser supostamente realista para ser aceito por quem tem medo da vida. Definitivamente NÃO deixarei de acreditar que estou aqui para ser guiado pelo amor, companheirismo, lealdade, luta e bondade.

Seria muito mais fácil viver reclamando. Sorrir diante das adversidades é bem mais difícil do que ceder à ladainha vitimista. Disputar atenção e passar alguém para trás são coisas que NÃO fazem parte do que sou, isso NÃO quer dizer que NÃO sei reagir à altura diante de qualquer deslealdade. Por mais que você coloque em meu caminho pessoas que temam meu sucesso, como se isso lhes retirasse o brilho, há de chegar o dia em que minha positividade as convencerá que o melhor caminho é aquele que traçamos lado a lado, sem atropelos ou armadilhas.

Portanto, cara negatividade, eu NÃO lhe dou permissão para tentar me derrubar. Você, às vezes, mesmo sem querer, me faz até levantar com mais força… Há 9 anos, minha vida ficou tão positiva que até meu sangue ficou doce (doce, doce). Então, cá pra nós, não será seu amargor que irá mudar a doçura que corre em minhas veias e se esse excesso de doçura te ofende, NÃO lute comigo, tente se aliar a mim, pois assim terei a oportunidade de te mostrar o quanto um sorriso sincero, um abraço amigo e abrir caminhos comuns e em harmonia nos fazem pessoas muito mais vencedoras, bacanas e admiradas.

Unir-se ao otimismo, à positividade e ao amor verdadeiro ao próximo e a si mesmo, são os únicos caminhos viáveis para quem quer chegar ao fim da vida com um legado real e eterno de sucessos e conquistas. #FicaaDica 🙂

À sua crítica destrutiva, ofereço o amor que levo em meu coração. À sua soberba, ofereço a minha humildade. À sua deslealdade, ofereço meu perdão. Ao seu individualismo, ofereço minha amizade e meu companheirismo. Ao seu medo de mim, ofereço minha palavra de carinho e alento.

NÃO há como escapar: NÃO jogarei o seu jogo. Jogue o meu comigo e você NÃO se arrependerá!

E quando quiser me fazer uma visita, fique à vontade. Eu me viro. Só não chegue sorrateiramente, como de costume. Diga um olá e assim saberei que você está presente. Você, muitas vezes me protege e nas horas de perigo, me faz falta sua prudência e acabo me quebrando mais adiante.

Venha com cuidado, mas não desapareça. Quando você some por completo, ainda que não acredite, é como se faltasse uma parte de mim.

Grande abraço e deixe-se contagiar por uma vida repleta de amor. Vocês podem viver em harmonia em meu coração…

Daniel Ramalho – Diabeticoach

Blog Diabetes Esporte & Natureza


Assinatura Blog 003 set2017


ESTÁ CHEGANDO

21616546_507560499604571_3554556279413164762_n

BEM-ESTAR, DESENVOLVIMENTO PESSOAL E RESILIÊNCIA NO TRATAMENTO DO DIABETES!


REVISTA ELETRÔNICA

Revists-Em-Diabetes-5

Leia no nosso nº 5! Clique aqui ou na imagem acima.


 

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s