imagem Foi dada a largada: SUS, aqui vou eu! Parte 3: A esperança (mas nem tanto)

presente sus
Mistura de felicidade por conseguir algo e ter sido tão bem recebido pela médica e de decepção por conseguir tão pouco material.

No último dia 13 de novembro, conforme marcado, compareci ao Posto de Saúde da Tijuca (Centro Municipal de Saúde Heitor Beltrão).

Logo ao chegar, uma atendente me acompanhou até a sala de espera. Já me preparava para mofar por algum tempo, como se diz que são os atendimentos nessas unidades de saúde.

Para a minha surpresa, não cheguei a esperar nem 10 minutos e já me chamaram ao consultório. Fui recebido com muita simpatia e atenção pela Dra. Helena Matos. Lá contei toda a minha história desde o diagnóstico (sim, ela escutou tudo e quem me conhece sabe que não falo pouco quando me dão a palavra) e que gostaria de contar com a saúde pública para me fornecer os medicamentos e insumos que precisava para me cuidar.

Com muito cuidado, ela verificou minha glicemia que, para minha surpresa, estava muito boa, já que aquele era um desses dias de “atividades sobrenaturais” em meu diabetes.

Todo o atendimento transcorreu de forma muito natural e competente por parte da Dra. Helena e pude expor tudo o que esperava do sistema público de saúde. Até sobre meus projetos no “DIABETES, ESPORTE & NATUREZA” falamos, o que despertou bastante interesse na doutora, visto que no dia seguinte lançaria o vídeo “Nós Podemos Tudo”, na ocasião do Dia Mundial do Diabetes.

Expliquei também o meu interesse em ser atendido no IEDE (Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia-RJ) e ela se encarregou de fazer o encaminhamento de minha solicitação.

Com meus relatos sobre dosagem de insulina que usava e rotinas diárias de cuidados e medições de glicose no sangue, ela preparou o receituário para que pudesse retirar os medicamentos e insumos na farmácia do posto de saúde.

O atendimento da Dra. Helena Matos foi impecável: competente, muita simpatia e atenção e me deu muita esperança de ver com outros olhos o atendimento público dispensado aos diabéticos.

Porém (sim, sempre tem um porém), apesar de toda a dedicação da Dra., o atendimento na farmácia não foi tão satisfatório. Não por culpa da atendente, mas do tão falado “sistema”.

Apesar de ter colocado na receita a dosagem correta de insulina NPH e NovoRapid, na farmácia só me forneceram a NPH Humulin (que uso há 6 anos).

Também recebi um aparelho Accu-Chek Active, tiras, lancetador, lancetas e seringas, porém todos em quantidade inaceitável! Explico: verifico minha glicemia ao menos 6 vezes ao dia (normalmente 8) e só recebi 50 tiras (o que só daria para 8 ou 6 dias), 10 lancetas (o suficiente para 1 dia e parte do outro se for usar uma para cada medição, como os órgãos de saúde aconselham fazer) e 30 seringas para a NPH (o que só dá para 15 dias, já que aplico duas vezes por dia, sem reutilizar nenhuma seringa).

Não, eu não contei errado! O SUS não segue normas básicas de saúde no fornecimento dos insumos e medicamentos. Para continuar o tratamento, se não tiver que usar meu próprios meios para comprar, terei que reutilizar seringas, lancetas e ficarei sem a NovoRapid (Insulina Asparte que dá uma qualidade de vida enorme aos diabéticos).

Apesar da experiência ter sido muito melhor do que esperava no tocante ao atendimento, no que compete à administração da saúde pública, o serviço prestado é uma vergonha. Enquanto a atendente da farmácia me explicava sobre limites para cada coisa que me fornecia, emudeci ao constatar que quem paga seus impostos não tem direito a um tratamento minimamente decente no que se refere ao fornecimento do material necessário para que possa cuidar de sua saúde.

Será esse o respeito que merecemos de nossos governantes? E dizem que já foi muito pior!

Agora, fico aqui à espera da tão sonhada ligação do IEDE para ser atendido por um especialista em diabetes e esperançoso de conseguir todo o material que preciso para meu tratamento diário.

Por aí se diz que no Rio, o que não se consegue no Posto de Saúde (PS), o IEDE fornece. Vamos ver. No primeiro post dessa minha “saga”, comentei que lá fui atendido e orientado por diabéticos que lá trabalham. Só espero poder contar com o mesmo respeito no tocante ao que me faltou no PS.

Lá se vão 22 dias e nem sombra da tão sonhada ligação telefônica, mas fui alertado de que realmente demoram em ligar.

Que fique aqui registrado o meu parabéns à Dra. Helena Matos pelo ótimo atendimento com respeito e dedicação aos pacientes e o meu protesto ardoroso contra os BURROCRATAS da saúde pública! Nota ABAIXO DE ZERO pra vocês! De saúde e respeito ao povo vocês não entendem absolutamente NAAAAADA!!!!

Volto a postar mais um capítulo dessa “Odisséia” tão logo haja novidades! Até lá, acompanhem o blog “DIABETES, ESPORTE & NATUREZA”, pois vem muito post interessante por aí!

Um grande abraço e muita saúde a todos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s